Não nos precipitemos...

Publicada por José Manuel Dias


Numa aldeia, vivia um velho muito pobre, que possuía apenas um lindo cavalo branco, Uma manhã, descobriu que o cavalo branco não estava na cocheira. Os amigos disseram-lhe:
-Mas que desgraça, o seu cavalo foi roubado!
E o velho respondeu:
- Calma, não cheguem a tanto. Digam, simplesmente, que o cavalo não está na cocheira. O resto é o vosso julgamento.
As pessoas riram do velho. Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou. Havia fugido para a floresta. E não apenas
isso, trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo. Novamente, as pessoas reuniram-se e disseram:
- Velho, você tinha razão. Não era uma desgraça, mas sim uma bênção.
E o velho replicou:
- Vocês estão, de novo, a precipitarem-se. Quem pode dizer se é uma benção ou não? Apenas digam que o cavalo está de volta...
O velho tinha um único filho, que começou a treinar os cavalos selvagens. Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um dos animais e fracturou as pernas. As pessoas reuniram-se e, mais uma vez, puseram-se a julgar:
- E não é que você tinha razão, velho? Foi uma desgraça, o seu filho único perder o uso das pernas.
E o velho retorquiu:
- Mas vocês são mesmo obcecados por julgamentos?! Não se adiantem tanto. Digam apenas que o meu filho fracturou as pernas. Ninguém sabe se isto é uma desgraça ou uma bênção...
Aconteceu que, algumas semanas depois, o país entrou em guerra e todos os jovens da aldeia foram obrigados a alistar-se, menos o filho do velho.
Quem é obcecado por julgar, cai sempre na armadilha de basear o seu julgamento em pequenos fragmentos de informação, o que o levará a conclusões precipitadas.
Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois quando um caminho termina, outro começa, quando uma porta se fecha, outra se abre. Assim é o curso da vida.

6 comentários:

  1. José Alberto Mostardinha disse...

    Viva:

    Só posso dizer que está excelente esta parábola.
    Se as pessoas meditassem no seu alcance seguramente que o mundo se tornaria melhor.

    Um abraço,

  2. Jorge Alves disse...

    Obrigado pela visita que fez ao meu espaço. Com mais calma e tempo voltarei ao seu. Abraço.

  3. veritas disse...

    O segredo reside precisamente na meditação, faz lembrar a minha avó que dizia, no seu saber de senso comum, que deve nunca deve ser menosprezado: " Deus fecha uma porta...mas abre sempre uma janela..."

    Bjs

  4. Vanda Baltazar disse...

    Ao ler este post, parecia que tinha sido feito por ecomenda :))

    ...felizmente que assim é:

    ...que sempre se abre uma janela por onde pode entrar de novo o sol, aprisionado.

    Tenhamos nós sempre capacidade de criar, reciclar, aproveitar todas as oportunidades, sem nos darmos por vencidos e convencidos, perante os obstáculos da vida.

    Um beijinho e um bom fim de semana!

    Van

  5. Joel disse...

    Pôxa vida, este texto serviu muito para ampliar meu entendimento sobre as vicissitudes da vida. Tantas vezes, açodados, mergulhamos num aparente óbvio pessimismo e nos damos por vencidos!

    Parabéns ao editor do blog e, deixo também, fraterno abraço!

  6. José Manuel Dias disse...

    Grato pelos contributos.