Competitividade

Publicada por José Manuel Dias


A recuperação de dívidas custa às empresas portuguesas cerca de 50 milhões de horas de trabalho por ano, ou seja, mais cinco mil horas por dia, de acordo com um estudo da Intrum Justitia. As pequenas empresas são as que apresentam os maiores custos de trabalho "per capita" associados à gestão de crédito.
A notícia do Jornal de Negócios desta data, pode ser lida aqui.
A recuperação de crédito é uma área onde, seguramente, a maioria das empresas pode ser mais competitiva. Importa, no entanto, atribuir à gestão do crédito a importância merecida. De nada valerá crescer nas vendas se estas não se vierem a traduzir em meios monetários.
A realidade retratada na notícia remete-nos, também, para outros aspectos e que têm a ver com o comportamento de muitos agentes económicos. Um comportamento que se traduz na falta de cumprimento dos compromissos assumidos, designadamente na falta de pagamento das datas acordadas. Estas atitudes são perniciosa pelo efeitos de bola de neve que têm, afectando outras unidades económicas e minando a respectiva cadeia de valor. Mudar esta realidade depende dos gestores das empresas. A gestão de crédito pode representar uma vantagem competitiva em relação à concorrência. A competitividade de país agradece.

1 comentários:

  1. Joana Dalila Santos disse...

    E o povo é como as crianças, só imitam aquilo que vêm fazer.