Círculo de Qualidade

Publicada por José Manuel Dias


O Círculo de Qualidade é um sistema, concebido do Kaoru Ishikawa, professor da Universidade de Tóquio falecido em 1989, que tem como propósito envolver todos os colaboradores de uma empresa, a todos os níveis, na qualidade das tarefas executadas e na identificação de melhorias que possam conduzir a ganhos de eficiência e produtividade.
Um círculo de qualidade é, na definição do Quality Circles Handbook, um grupo de 3 a 12 pessoas que fazem o mesmo ou trabalho semelhante, reunindo-se voluntária e regularmente durante cerca de uma hora por semana em tempo remunerado, habitualmente sob a liderança do seu próprio supervisor, e preparadas para identificar, analisar e resolver alguns dos problemas do seu trabalho, apresentando soluções à administração e, quando possível, implementando soluções elas próprias.
Existem 2 preocupações essenciais num Círculo de Qualidade:
1) identificação do problema e apresentação de sugestão de soluções;
2) reforço da motivação do grupo por via das reuniões e da inerente oportunidade para discutir questões relacionadas com o trabalho.
As reuniões devem ser feitas com carácter regular e com uma ordem de trabalhos pré-definida. Devem ser elaboradas actas, com o intuito de velar pelo acompanhamento e execução das propostas aprovadas. A eficácia deste método depende muito da preparação dos participantes no processo e do apoio efectivo recebido por parte da gestão do topo.
Quem não conhece organizações que lucrariam com a aplicação deste sistema?

5 comentários:

  1. Isa disse...

    A "minha" lucraria...e muito! É muito complicado trabalhar com pessoas resistentes à evolução das tecnologias.

    Obrigada pela visita :)

  2. Professorinha disse...

    Bem, só posso falar da escola... As actas não ajudam muito. A não ser que as pessoas estejam empenhadas no trabalho. Se houver interesse por parte dos trabalhadores toda a inovação resulta.

  3. JL disse...

    Não duvido nada que as organizações lucrassem bastante com este tipo de iniciativa e envolvimento por parte dos colaboradores. Aliás, algumas já fazem coisas muito próximo deste exemplo.
    Boa semana

  4. migas (miguel araújo) disse...

    Viva
    Há cada vez mais, no mundo laboral, seja na esfera de quem gere, seja na dos subordinados, uma preocupação mesquinha em tudo esconder, nada comunicar, nem discutir ou planear em equipa.
    É um mundo cada vez mais fechado em ilhas e gavetas pessoais.
    Por isso cada vez se contribui menos para o desenvolvimento do nosso tecido empresarial e dos serviços. Os seja, para o desenvolvimento do país.
    cumprimentos

  5. veritas disse...

    Olá José Manuel:

    Sim...principalmente com a parte do reforço da motivação do grupo...

    Bjs.