A definição das prioridades

Publicada por José Manuel Dias


Meus senhores:
Ao marchar para Portugal, para uma posição que domina a aproximação a Madrid e as forças francesas, os meus oficiais cumpriram diligentemente a vossa solicitação que foi enviada pelo navio de S. M. de Londres para Lisboa e, depois, por mensageiro para o nosso quartel-general.
Enumerámos as nossas selas, rédeas, tendas e estacas de tendas e todo o tipo de artigos diversos que o Governo de Sua Magestade colocou sob a minha responsabilidade. Enviei relatórios sobre a personalidade. o engenho e o humor de todos os oficiais. Foram contabilizados todos os objectos e importâncias até ao último vintém, com duas lamentáveis excepções para as quais peço a vossa indulgência. Infelizmente, a quantia de um xelim e nove dinheiros continua por contabilizar na caixa de uma batalhão de infantaria e houve uma horrível confusão quanto ao número de frascos de compota de framboesa enviados para um regimento de cavalaria durante uma tempestade de areia no Oeste de Espanha. Este provável descuido pode estar relacionado com a pressão das circunstâncias, uma vez que estamos em guerra com França, facto que pode constituir alguma supresa para os senhores, aí em Whitehall.
Isto traz-me ao meu presente objectivo que é solicitar esclarecimentos ao Governo de Sua Magestade sobre as minhas instruções, de modo a compreender a razão por que estou a arrastar um exército por estas áridas planícies. Deduzo que deva ser forçosamente uma de duas incumbências alternativas. Realizarei qualquer delas com o melhor da minha capacidade, mas não posso realizar ambas; 1. Treinar um exército de escriturários britânicos uniformizados em Portugal para bem dos contabilistas e copistas de Londes ou, eventualmente, 2. Tratar que as forças de Napoleão sejam expulsas de Portugal e de Espanha.
Vosso obedientíssimo servo,
Wellington
Carta do Duque de Wellington para Londres durante as invasões francesas
Arthur Wellesley, Duque de Wellington, comandou a coligação de tropas portuguesas e inglesas que derrotou o exército francês na Batalha do Bussaco, a 27 de Setembro de 1810.

6 comentários:

  1. A.J.Faria disse...

    Olá, José M.Dias!
    Interessante documento!
    Abraço

  2. alegriadequerer disse...

    Hola Manuel pase a saludarte, y dar las gracias por tu visita aqui estare muy de seguido soy Alegria

  3. Kalinka disse...

    OLÁ JOSÉ MANUEL DIAS

    Post bem conseguido, sobre a definição de prioridades.

    Há muitas pessoas que não sabem ainda, definir prioridades e criar prioridades. Julgo ser muito importante nas nossas Vidas a criação de prioridades em todas as nossas tarefas.
    Bom domingo.
    Nota:novo artigo no kalinka, convido-o a espreitar.

  4. Lee disse...

    Tenho de ter tempo de ler o seu blog diariamente. É uma fonte.

    Um abraço

  5. peciscas disse...

    Essa do xelim e 9 dinehiros e os frascos de compota extraviados, das duas uma: ou era o sentido de humor a funcionar ou era mesmo excesso de zelo...

  6. Cleopatra disse...

    " Enviei relatórios sobre a personalidade. o engenho e o humor de todos os oficiais. "

    Ora aqui está um dos traços de perfil, que todo o líder devia ter!