Mal parado a subir

Publicada por José Manuel Dias


O crédito malparado voltou a aumentar em Março, pelo terceiro mês consecutivo e atingiu 2.482 milhões de euros, mais de 1,9% do crédito concedido, cujo valor ascendeu a 129.855 milhões de euros, revelam dados do Boletim Estatístico do Banco de Portugal (BdP).
A subida do crédito de cobrança duvidosa acompanha o aumento do valor emprestado. É que, apesar da turbulência dos mercados financeiros e da anunciada restritividade de critérios, o crédito concedido subiu quase 100 milhões de euros.
O malparado aumentou nos financiamentos para todas as finalidades, mostra o BdP. No caso do crédito à habitação, que representa a maior fatia do bolo, ascendeu a 1.360 milhões de euros (mais 45 milhões que em Fevereiro e mais 164 que em Março de 2007). O valor total dos empréstimos para a compra de casa também aumentou, para 102.760 milhões de euros.
No crédito ao consumo, cujo valor global ascendeu a 14.654 milhões de euros, a cobrança duvidosa abrange 590 milhões (mais 21 milhões face ao mês anterior e mais 180 milhões face ao homólogo).
Os Bancos que se iludiram com o crescimento dos números, oferecendo crédito a quem não tinha condições para o pagar, têm agora o retorno. Vão ter que contabilizar provisões diminuindo em igual proporção os próximos lucros da sua actividade. As pessoas que assumiram compromissos sem cuidar de saber se os podiam cumprir são agora confrontadas com situações de cobrança judicial. A experiência (mesmo a alheia) é uma boa conselheira...

2 comentários:

  1. Joana Dalila Santos disse...

    Parece-me que já tinhas publicado isto, ou então é o filme a repetir-se*

  2. jrd disse...

    É claro que se está mal parado tem de subir, já que os tempos não são de descida.