O homem e a sua sombra

Publicada por José Manuel Dias


Era uma vez um homem original que queria apanhar a sua própria sombra. Dava um passou ou dois na sua direcção, mas ela afastava-se. Acelerava o passo mas ela fazia o mesmo. No final, começou a correr e a sombra correu também, recusando-se totalmente a entregar-se, como se fosse um tesouro. Mas repare! O nosso excêntrico amigo aproxima-se e afasta-se rapidamente da sombra. Se olha para trás, agora é ela que corre atrás dele. Senhoras, sinceramente, com frequência tenho observado (...) que a sorte nos trata de forma semelhante. Um homem tenta com todas as suas forças agarrar a deusa, e apenas desperdiça tempo e trabalho. Outro parece fugir dela; mas não: é ela que tem prazer em o perseguir.
Ivan Kriloff (1768-1844)

9 comentários:

  1. semrima disse...

    Vim retribuir a visita.
    Não conhecia este texto, e já anotei o autor.
    Abraço e bom fim de semana
    Anabela Quelhas

    http://arkimagem.blogspot.com/
    http://esquadria.blogspot.com/

  2. Guilherme Roesler disse...

    José,

    que belo e profundo texto.

    Abraços, Guilherme

  3. A.J.Faria disse...

    Nem tudo o que é inatingivel é negativo.
    O importante é extrair ensinamentos de determinados comportamentos.
    Abraço

  4. crt disse...

    Gostava de ser o "Outro", aquele a quem ela persegue.

  5. Marina disse...

    Se a sorte fosse tao previsivel como a sombra, saberíamos se deveriamos correr ou deixarmo-nos apanhar... Pelo menos a sombra obedece às leis da física!

    Boa semana!

  6. Anónimo disse...

    Como gostei de ler!

  7. Anónimo disse...

    Olá José Manuel!

    Este relato é, no fundo, a história da vida...Boa moralidade...

    Bjs. Boa semana.

  8. Anónimo disse...

    Excelente, passamos a vida atrás das sombras, enquanto outros na sombra nos perseguem. Boa semana

  9. Anónimo disse...

    Bom dia!
    ...nada como saber perseguir os objectivos que podem ser perseguidos... mas nem sempre temos paciencia para a sabedoria!
    Bjicos