Palavras que impõem respeito

Publicada por José Manuel Dias

Várias leis foram elaboradas com o fim de combater a corrupção, várias experiências foram tentadas, várias iniciativas foram tomadas, mas a corrupção está aí, tão viva como sempre, minando a economia, corroendo os alicerces do Estado democrático.
Se é verdade que a ordem jurídica não se pode confundir com a ordem ética, a verdade é que em cada povo e em cada época tem de existir aquele mínimo de valores éticos a respeitar e subjacentes à feitura e aceitação das leis.
É, aqui, penso, que se coloca um dos pontos-chave da luta contra a corrupção em Portugal. É fundamental a criação de um juízo de censura, de um desejo de punibilidade existente na consciência moral do homem médio que por isso deve ser sensibilizado para o problema.
Fernando Pinto Monteiro, novo procurador-geral da República (PGR), discurso da tomada de posse, 9 de Outubro de 2006

3 comentários:

  1. Paulo Sempre disse...

    Do discurso de circunstância à pratica, há um enorme caminho a "trilhar". Há demasiadas expectativas quanto ao novo PGR. Vamos ver...para crer.
    Bom blogue.
    Abraço
    Paulo

  2. migas (miguel araújo) disse...

    Enquanto não for criada uma verdadeira mentaliddae e estrtura eficaz no combate à corrupção, são sempre palavras de circunstância que em nada mudam a nossa realidade.
    Esperar para ver até que ponto não vamos ter saudades de Souto Moura.
    Cumprimentos

  3. Arauto da Ria disse...

    Eu acredito e quero continuar a acreditar neste homem.Espero que o deixem trabalhar, se assim não for ele demite-se.
    Gostei sinceramente da sua visita e ainda bem que o fêz, pois com esta eu fiquei a ganhar, por ter ficado a conhecer o seu blogue que é excelente
    Cumprimentos.