Vinho de princesas

Publicada por José Manuel Dias


Há cerca de uma semana, a princesa Victoria da Suécia bebeu um Periquita Reserva 2005 num jantar de gala que distinguiu dezenas de mulheres empreendedoras de toda a Europa. No luxo da Câmara Municipal de Estocolmo (o mesmo edifício que recebe o famoso banquete do Prémio Nobel), o vinho da José Maria da Fonseca acompanhou o prato principal e foi saboreado por mais de 400 pessoas.
O episódio poderia passar despercebido, não fosse o aumento expressivo das exportações de vinho para a Suécia. Nos primeiros seis meses do ano, já ultrapassaram a totalidade de 2008, tanto em valor como em volume (ver infografia). Mas o bom comportamento do sector fora de portas não se registou apenas no país da princesa Victoria. Aliás, a manter-se o ritmo de exportações verificado no primeiro semestre deste ano, 2009 poderá ser o melhor dos últimos nove anos em termos de valor.
Fonte: Público,
aqui.
Portugal pode ser mais competitivo em muitos sectores de actividade. Precisa apenas de adoptar a estratégia mais adequada. Quem não pode concorrer pelo baixo preço, tem de apostar na diferenciação. Este sector pode servir de exemplo para outros.

1 comentários:

  1. Saltapocinhas disse...

    E o caminho é por aí: não podemos competir nas grandes indústrias, mas podemos (e devemos) competir nos vinhos, no azeite, em alguma tecnologia, em alguns ramos da medicina...
    Assim haja vontade e competência política.