Síndrome de Estocolmo

Publicada por José Manuel Dias


A Síndrome de Estocolmo é um estado psicológico desenvolvido por pessoas que são vítimas de sequestro ou por pessoas detidas contra sua vontade – os prisioneiros desenvolvem um relacionamento afectivo com os seu(s) captor(es). Essa solidariedade pode algumas vezes assumir foros de cumplicidade, com os presos a ajudar os captores a alcançar seus objectivos ou a fugir da polícia.
A síndrome desenvolve-se a partir de tentativas da vítima de se identificar com seu captor ou de conquistar a simpatia do sequestrador.
A síndrome recebe seu nome em referência ao famoso assalto ao Kreditbanken em Norrmalmstor, Estocolmo que durou de 23 de Agosto a 28 de Agosto de 1973. Nesse acontecimento, as vítimas continuavam a defender seus captores mesmo depois dos seis dias de prisão física terem terminado e mostraram um comportamento reticente nos processos judiciais que se seguiram. Duas das vítimas acabaram por se casar com os sequestadores após o término do processo. O termo foi cunhado pelo criminólogo e psicólogo Nils Bejerot, que ajudou a polícia durante o assalto, e se referiu à síndrome durante uma reportagem. Ele foi então adoptado por muitos psicólogos no mundo todo.
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Recentemente, um ex-deputado de um partido da oposição trouxe para o léxico político este termo, procurando criticar o comportamento do respectivo líder que se recusa a fazer oposição ao Presidente da República apesar de não apreciar a " cooperação estratégica do PR com o Governo".

5 comentários:

  1. migas (miguel araújo) disse...

    Viva
    Eu acho é que no meu partido estão todos a precisar de uma boa psicanálise colectiva.
    Venha Freud cá ao brugo, ver isto!
    De certeza que teria matéria prima para mais um tratado.
    Cumprimentos

  2. Luna disse...

    Hoje em dia só me admiro com o que não acontece, tudo é possivel neste mundo demente
    beijos

  3. -=|Åñð®ë§§ä|=- - disse...

    Muito curiosa essa síndrome, n conhecia. Seu blog traz temas muito interessantes. bjs:**

  4. Teresa Durães disse...

    não conhecia o síndroma mas não sei porque criticam esse tal líder (imagino que seja o do PSD). O que vale são as contagens de votos e não o que o que se faz, todos sabem disso. Claro que quem é ex-qualquer coisa pode ser crítico. Mas enquanto se anda na tourada não se perde o lugar de toureiro de vista.

    Nenhum deles é o Cristo redentor. Tudo uma questão de oportunidade de negócio.

    bom dia

  5. Cleopatra disse...

    Exactamente o que aconteceu aquela rapariga de olhos azuis e frios -Natascha.
    Quem foi sequestrado naquele caso???