Combater a corrupção

Publicada por José Manuel Dias


No passado dia 6 de Novembro, a Transparency Internacional apresentou o seu novo “Índice de Percepção da Corrupção”, em Berlim. No Verão passado, o Banco Mundial voltou a expressar o seu empenho na luta contra a corrupção como uma grande prioridade. Portugal é o 26º país menos corrupto. Em 163 países, Portugal está entre os 30 menos corruptos. Mantém a mesma posição de 2005. A eliminação do fenómeno em Portugal colocaria o nosso país ao nível de um desenvolvimento económico da Finlândia.
Fernando Pinto Monteiro, novo Procurador Geral da República, defendeu, na recente tomada de posse, a «criação de um juízo de censura, de um desejo de punibilidade existente na consciência moral do homem médio, que por isso deve ser sensibilizado para o problema».
Dados do Ministério Público apontam para a abertura de mais de 8 mil inquéritos relativos a fraudes, corrupção, crimes fiscais, branqueamento de capitais e infracções de tecnologia, entre Janeiro de 2005 e Outubro deste ano, noticia hoje o jornal "Diário Económico".
Estes números revelam uma média de 13 novos inquéritos por dia. A maioria incide sobre casos de corrupção (42,3 por cento), que estão a ser investigados pela Polícia Judiciária e dizem respeito a suspeitas que recaem sobre órgãos e dirigentes de autarquias.
Combater a corrupção é, pois, urgente e necessário ...ganhamos todos, ganhando Portugal.

4 comentários:

  1. Arauto da Ria disse...

    Corrupção no nosso País, deve estar mal avaliada ou então andamos todos enganados, ou será que ela é tão perfeita que não é detectada.
    Os ind´cios de corrupção são tantos
    que nos deixa um bocado perplexos estes resultados.
    cumprimentos

  2. migas (miguel araújo) disse...

    Viva
    Combata-se da forma que se quiser.
    à força, com penas judiciais ou pecuniárias elevadas, com todos os meios e mais alguns.
    Mas se não se estrurar esta sociedade de outra forma... se não se mudarem as mentalidades... de nada vai adiantar.
    Cumprimentos

  3. Hipatia disse...

    O apelo à via judicial não me convence. A lentidão da justiça portuguesa deixa os mais afoitos sem qualquer vontade de dar o seguimento óbvio após detectar uma qualquer situação de corrupção activa ou passiva. E, com a lentidão, vem a prescrição e fica tudo na mesma. De qualquer forma, para o País que inventou o "Sr. Cunha" e ainda o exportou, estar entre os 30 melhores parece-me, de facto, surpreendente... e um bocadinho inverosímil.

  4. José Manuel Dias disse...

    Hipatia
    Os números são de uma organização prestigiada...Não nos faças piores do que o que somos. Agora temos de melhorar....
    Abraço