Microcrédito

Publicada por José Manuel Dias


O conceito nasceu há 30 anos, no Bangladesh, quando em plena "maré de fome", Muhammad Yunus percebeu que o acesso a 27 dólares, era o suficiente para que 40 mulheres pudessem fugir das garras dos agiotas, que as mantinham permanentemente endividadas. Foi assim que nasceu o Grameen Bank, cuja regra é dar crédito a quem tem a ideia de um pequeno negócio de subsistência, mas não tem acesso à Banca tradicional, porque é pobre e não tem garantias.
A atribuição do Prémio Nobel da Paz de 2006 a Muhammad Yunus e ao Grameen Bank releva a importância que o combate à exclusão social tem para a construção da paz e premeia um homem que não se ficou por dar aulas de Economia na Universidade de Chittagong e criou uma instituição original, um banco que empresta dinheiro aos mais pobres, o Grammen Bank, permitindo-lhes criar iniciativas empresariais.
Vale a pena registar as palavras de Muhammad Yunus : " A minha posição é que os seres humanos são todos basicamente empreendedores. Esse espírito não está limitado a um grupo de pessoas ou a um grupo de países. É o fundamento dos seres humanos, somos uma espécie empreendedora".
Em muitos países os governos não se envolvem no microcrédito; em Portugal mereceu especial atenção, como forma de combater o desemprego e a economia paralela, contando com a colaboração da generalidade das instituiçõe bancárias.

7 comentários:

  1. aprendiz de viajante disse...

    Obrigada! O teu blog é muito bom! Os meus parabéns.

    Bom fds

  2. Isabel-F. disse...

    ... esqueci-me de dizer ... não deixes de ver o meu Post de hoje ...
    tem muito a ver com o nome do teu Blog ... acho ... mas tu o dirás....

  3. veritas disse...

    Olá!

    Passei, não só em busca de novidades, mas também para te desejar um bom fim-de-semana.

    Bjs.

  4. Arauto da Ria disse...

    Visitar o seu canto é gratificante pelo que aprendemos ou recordamos e sempre com temas muito importantes, venho algumas vezes, pois o tempo não me permite mais, mas creia que vou vir muito mais vezes porque gosto do conhecimento.
    Cumprimentos e bfs

  5. migas (miguel araújo) disse...

    Viva José Dias
    Dos melhores Prémios Nobel que até hoje eu vi entregues (dos que conheço, claro).
    Só comparo a Ximenes Belo e Ramos Horta - Nobel da Paz.
    Esta forma de colocar o sectro científoc (seja ele tecnológico, económico ou outro) em benefício dos outros, é de um humanismo atroz.
    Cumprimentos

  6. Anónimo disse...

    Interessante essa de «...os seres humanos são todos basicamente empreendedores.»

  7. iace disse...

    Tem bastante mais mérito ensinar a pescar do que dar um peixe.