Dia Internacional das Crianças Desaparecidas

Publicada por José Manuel Dias


Desde o dia 3 de Maio, desapareceram, além de Madeleine McCann, mais de 800 crianças e jovens, só no Reino Unido. A informação foi veiculada por responsáveis da linha de apoio National Missing Persons, que chamaram à atenção para a diferença, a nível de mediatização, entre esses casos e o da menina desaparecida no Algarve.
Existe em curso um debate, no Reino Unido, em torno de Maddie que não se resume ao tema central que é o desaparecimento da criança, envolvendo também a cobertura mediática do caso. No domínio da internet, a página criada no início do mês para ajudar a encontrar a menina inglesa já teve mais de 100 milhões de acessos, reunindo milhares de mensagens de apoio, provenientes de todo o Mundo. Resta saber se este caso está a ser tratado da melhor forma. É, no entanto, um caso paradigmático. Será que a divulgação em massa de fotografias de uma criança desaparecida pode ter efeitos perversos? Será que o raptor não será levado a desfazer-se da criança ou a escondê-la com mais cuidado? Será que são mobilizados recursos idênticos para todas as crianças desaparecidas? A gratificação prometida para quem facultar informações relevantes não conduzirá ao aparecimento de inúmeros testemunhos que desviarão os investigadores das pistas mais consistentes para localização da criança? Questões que merecem reflexão numa época, em que muitos pais se demitem das suas responsabilidades ou, por vicissitudes diversas, não lhes conseguem propiciar as condições para um desenvolvimento salutar.
Amanhã assinala-se o Dia Internacional das Crianças Desaparecidas. Uma palavra de solidariedade para todos os que vivenciam situações desta natureza e um voto de esperança na capacidade dos homens em construir um mundo melhor.
Adaptado dos Jornais

3 comentários:

  1. Cusco disse...

    Obrigado pela visita e comentário!
    Não conhecia a existência do dia mencionado nem do número (800) de crianças desaparecidas em tão curto espaço!
    Mais um motivo para reflectir!

    Abraço!

  2. veritas disse...

    Sim, sobretudo um bom meio para cultivar a solidariedade e olhar à nossa volta com um instinto construtivo.

    Bjs. Boa semana.

  3. SaltaPocinhas disse...

    As tuas dúvidas são também as minhas...