Falas de civilização

Publicada por José Manuel Dias


Falas de civilização, e de não dever ser,
Ou de não dever ser assim.
Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos,
Com as coisas humanas postas desta maneira,
Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.
Dizes que se fossem como tu queres, seriam melhor.
Escuto sem te ouvir.
Para que te quereria eu ouvir?
Ouvindo-te nada ficaria sabendo.
Se as coisas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo.
Se as coisas fossem como tu queres, seriam só como tu queres.
Ai de ti e de todos que levam a vida
A querer inventar a máquina de fazer felicidade!

Alberto Caeiro

6 comentários:

  1. Cleopatra disse...

    Ai quu eu caio todos os dias nessa tentação...

  2. Cris disse...

    Nada teria sentido ou graça se a tal máquina fosse inventada. Bj!

  3. Cris disse...

    Para que te quereria eu ouvir?
    Ouvindo-te nada ficaria sabendo.
    Se as coisas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo.
    Se as coisas fossem como tu queres, seriam só como tu queres.
    Ai de ti e de todos que levam a vida, A querer inventar a máquina de fazer felicidade! - Verdade tão verdade que doi!

  4. Eärwen Tulcakelumë disse...

    Acho que o dia de tal invenção se encontra longe de acontecer. Talvez se nos aceitassemos ...quem sabe seriamos um pouco melhor.
    Deixo-te pérolas incandescentes banhadas de luz.
    Eärwen
    28.02.07

  5. Cleopatra disse...

    Nacional

    28/02/2007 08:02:8


    Os 27 condicionam o seu «parecer» à «aplicação integral e efectiva» das medidas previstas no PEC português.

  6. Arion disse...

    Quando a felicidade é prevesível torna-se logo mais infeliz