Vícios privados, Públicas virtudes?

Publicada por José Manuel Dias


Divirtam-se, festejem, façam férias, façam amor, comam e bebam o que vos apetecer. Mas, quando estiverem a trabalhar, não finjam que trabalham. Se forem professores, ensinem com dedicação, se forem juízes, sejam imparciais, se foram administradores, não enganem ninguém. É evidente que os corruptos vão considerá-los estúpidos, mas temos de começar a comportar-nos de forma correcta, apenas por ser o que está certo. A virtude é um exemplo, é um modelo da forma como todos devemos agir. Não posso ser virtuoso apenas quando me dá jeito. Devo sê-lo sempre e de qualquer maneira. E o prazer que daí vou retirar será a consciência de estar a dar o exemplo, o prazer de me sentir livre, o orgulho de não ter cedido à chantagem.
Francisco Alberoni, Sociólogo, no Diário Económico desta data. Ver artigo na íntegra aqui.

2 comentários:

  1. sofialisboa disse...

    como entendo bem estas palavras...vive apenas em plenitude...sofialisboa

  2. Professorinha disse...

    Trabalhar sim, divertir, a seu tempo...

    E assim deve ser.

    Fica bem